Mensagem de Boas Festas

                          Mensagem de Boas Festas

Todos os anos são únicos e o ano que agora termina vai ficar na nossa memória coletiva por muitas razões.

Ao adotarmos, neste momento de balanço, uma perspetiva pessimista, mas realista, é inevitável lembrar, na Madeira, o inferno dos incêndios de agosto, que ceifou vidas e propriedades, e deixou cicatrizes que só o tempo apagará.

Também o desemprego, que mal cede e que tem contribuído para a exclusão social e para o refúgio na incerteza da emigração de tantos dos nossos concidadãos, não pode deixar de ser uma sombra que a todos nos preocupa.

Ainda o regresso em força do terrorismo, dos nacionalismos, dos fundamentalismos, do medo e da incerteza a uma escala global constituem razões para questionar o futuro.

Mas creio que temos muitas mais razões para acreditar que o Novo Ano será melhor, se consideramos a força e a qualidade do nosso povo.

A Autonomia política, nascida da Constituição de Abril, celebrou no ano que agora finda 40 anos, e permitiu aos madeirenses e portossantenses, no seu conjunto, terem hoje condições de vida com as quais as gerações anteriores à nossa mal ousavam sonhar.

E, se há ainda muito a melhorar e a crescer, sempre pugnando pelo desenvolvimento, é hoje claro que a Madeira e o Porto Santo têm todas as condições para, num mundo em convulsão, seguirem um caminho de progresso, harmonia e paz, alicerçados em diversos indícios de dinamismo, como, por exemplo, no turismo.

          São, aliás, visíveis muitos sinais de esperança.

Em 2016, crescemos em orgulho e sentimento patriótico, com a emotiva e merecida vitória da Seleção Portuguesa, superiormente capitaneada pelo madeirense Cristiano Ronaldo, no Campeonato Europeu de Futebol.

Vivemos um tempo de estabilidade democrática, sem que nunca os populismos e extremismos, que surgem em força por toda a Europa, tenham no país qualquer acolhimento.

E crescemos em espírito comunitário e autoestima, com a eleição de um novo Presidente da República que, num estilo único e sempre presente, tem levado a sua magistratura de afeto a todos os Portugueses, tornando-nos mais responsáveis e cientes da nossa grandeza enquanto Pátria.

Vimos internacionalmente reconhecida, com a eleição democrática, transparente e unânime do Engenheiro António Guterres para Secretário-Geral das Nações Unidas, a condição de Portugal como Pátria da Paz e do entendimento entre todos os povos, honrando a memória dos nossos antepassados e a nossa matriz humanista, de tolerância e respeito pelo Outro.

Os últimos resultados alcançados no âmbito da educação consolidam igualmente uma janela de esperança para as novas gerações.

Por isso, e com convicção o afirmo, temos amplas razões para confiar que o Ano de 2017 nos possa trazer a todos dias mais felizes, mesmo sem esquecer as sombras que pairam sobre muitas regiões do planeta, onde tantos inocentes sofrem, e as incertezas que um Mundo em mudança transporta.

Confio que o espírito de Paz e Esperança que todos os madeirenses e portossantenses partilham, tão evidente neste período natalício, seja o mesmo que está no coração de todos os homens de boa vontade.

É com esta Confiança que gostaria de deixar os meus votos de Boas Festas e de um Novo Ano muito Feliz a todos os que aqui vivem e visitam, por esta altura, a Madeira e o Porto Santo, bem como à nossa Diáspora.

Funchal, 23 de dezembro de 2016